Projeto Jovem de Futuro busca melhoria no ensino médio

01/09/2011

Parceria entre governo e Instituto Unibanco almeja diminuir a evasão escolar em escolar públicas.

>
Projeto Jovem de Futuro busca melhoria no ensino médio
“Gargalos no ensino médio devem ser enfrentados com pressa”

“Para melhorar substancialmente a vida dos jovens temos que enfrentar os gargalos do ensino médio com pressa”, ressaltou o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República, Moreira Franco,em reunião com representantes do Instituto Unibanco para assinar um termo de cooperação técnica.

A parceria pretende implementar um projeto de educação, chamado Jovem de Futuro, em turmas do ensino médio de escolas públicas. Seis estados aceitaram participar da iniciativa a partir de 2012: Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará e São Paulo. “A pobreza está nas periferias das grandes cidades. Qualquer iniciativa nesse sentido é louvável”, disse Franco em coletiva à imprensa.

“Investimos no ensino médio porque é na juventude que se completa a reprodução da pobreza. A ideia é que esses adolescentes tenham maior grau de escolaridade para mudar isso”, afirmou a superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Rangel.

Entre 2008 e 2010, o projeto piloto aconteceu em 42 escolas de Belo Horizonte e Porto Alegre. De acordo com a avaliação de impacto, conduzida pelo subsecretário da SAE, Ricardo Paes de Barros, os alunos atendidos tiveram avanço significativo em português e matemática.

Segundo o presidente do Itaú Unibanco, João Moreira Sales, o progresso que as escolas de Porto Alegre obtiveram em português só poderia ser alcançado pelas escolas não atendidas em 3,7 anos. “Esse mesmo grupo levaria 23 anos para atingir metas em matemática”, ressaltou.

Além da melhoria do desempenho do aluno, o projeto almeja como objetivo principal diminuir a evasão no ensino médio. No entanto, Wanda admitiu que ainda é difícil enfrentar a questão. “Obtivemos maior impacto em outros quesitos”, afirmou.

(Fonte: Portal Aprendiz)

Comente via asboasnovas.com
Comente via Facebook